Meningite

Meningite: Sintomas e Diagnóstico

Meningite: Sintomas e Diagnóstico

Segundo a Associação Médicos Sem Fronteiras, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que foram reportados no mundo quase 1 milhão de casos com suspeita de meningite, nos últimos 20 anos. Cem mil vítimas vieram a óbito.

Dessa forma, a estatística atesta o poder de contágio e a letalidade dessa patologia. No Brasil, anualmente, há uma campanha de vacinação contra a doença, mas nem sempre o número de pessoas alcançadas é suficiente.

Você sabe quais são os sintomas da meningite? Este texto traz informações e mostra quando é a hora de procurar ajuda médica.

O que é meningite?

É uma infecção no cérebro causada, principalmente, por uma bactéria ou vírus. Ao se instaurar, a infecção vence as defesas do organismo. Então, ataca as três camadas de proteção que revestem o encéfalo, denominadas meninges, bem como outras áreas do sistema nervoso central.

Em casos menos frequentes, a doença pode ser ocasionada por fungos ou pelo bacilo de Koch, causador da tuberculose. Quando provocada pela ação do vírus, o contágio ocorre pelo contato com a água, objetos ou alimentos contaminados. Esse é o tipo mais comum e menos agressivo.

O tipo bacteriano é considerado o mais grave. A bactéria entra na corrente sanguínea e se instala no cérebro. São várias as bactérias que provocam a doença. As mais comuns se desenvolvem a partir de uma infecção no ouvido ou no trato respiratório, pneumonia ou pela baixa imunidade.

Quando causada por fungo, a meningite pode provocar um quadro crônico. É a forma mais rara de manifestação e é contagiosa. Existem também casos raros de desenvolvimento da doença a partir de reações químicas, alergia a fármacos e de câncer.

Quais são os sintomas?

Os sintomas variam de acordo com o tipo de meningite. Os mais frequentes são:

  • viral: sintomas semelhantes aos de gripe e resfriado, como por exemplo febre, dor de cabeça, rigidez da nuca, inapetência e irritabilidade;
  • bacteriana: os sinais mais recorrentes são febre alta, mal-estar, manchas vermelhas pelo corpo, vômito, dor de cabeça forte e dor no pescoço. Em bebês, há uma elevação da moleira;
  • fúngica: os sintomas são semelhantes aos outros tipos, tais como, febre, rigidez da nuca, sonolência, vômito e dor de cabeça.

Como diagnosticar?

A primeira abordagem médica para analisar a possibilidade da doença é a coleta de sangue e do líquido cerebroespinhal (líquor). O exame detectará o agente causador do problema. Essa confirmação é essencial para que o tratamento seja feito corretamente.

Outros exames adicionais também são realizados com frequência, tais como exame quimiocitológico do líquor, bacterioscopia direta, cultura do líquor, do sangue, das petéquias e das fezes, CIE (contra-imunoeletroforese cruzada) e aglutinação pelo látex.

A análise do aspecto do líquor é uma das alternativas mais precisas para casos de meningite. Em indivíduos saudáveis, o líquor é límpido e incolor. Porém, quando há infecção, ele fica turvo em decorrência do aumento de células.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como neurologista em Brasília.

Posted by Dr. Heitor Felipe Lima in Todos