neuropatia sensorial

O que é a neuropatia sensorial?

A neuropatia é uma condição que afeta aproximadamente 8% da população mundial e impacta diretamente a qualidade de vida e bem-estar de quem sofre o problema.

A neuropatia corresponde a um quadro de lesões nas fibras dos nervos sensoriais, que comprometem a rede de comunicação que envia informações do sistema nervoso central para as demais partes do corpo.

A neuropatia mais comum é a periférica. Subdivide-se em neuropatias motoras, autonômicas e sensoriais. Este texto tratará especificamente sobre o terceiro tipo. Conheça a neuropatia sensorial mais a fundo.

A neuropatia sensorial

A neuropatia sensorial é uma condição caracterizada por danos em neurônios sensoriais, o que pode acarretar sensibilidade dolorosa. Quando o problema afeta somente um nervo, é denominado mononeuropatia. Se mais nervos sofrem danos, polineuropatia, que é mais comum.

Sintomas

Além das típicas alterações na sensibilidade, pode haver sintomas como dormência, zumbido, incapacidade de coordenar movimentos complexos, sensações dolorosas de queimadura ou choque elétrico e fraqueza muscular. A dor, normalmente, é o primeiro sinal de parestesia sensorial. Costuma começar nos pés e, gradualmente, se estende para pernas, braços, mãos e áreas próximas.

Doenças associadas

A neuropatia pode ter relação com doenças de base, como diabetes, HIV, amiloidose, síndrome de Sjögren e doença de Tangier. Outras condições clínicas associadas à neuropatia sensorial são a redução do fluxo sanguíneo nervoso, inflamação e inchaço nos nervos, enfermidades imunológicas, intoxicação e envenenamento com produtos químicos e metais pesados, dependência química, efeitos colaterais de medicamentos, desordens hereditárias, déficit de vitamina B1, B12 e E, doenças renais e hepáticas, alterações na tireóide, problemas no tecido conjuntivo e distúrbios da medula óssea.

Grupos de risco

Algumas pessoas apresentam maior propensão ao desenvolvimento de neuropatia sensorial. Fazem parte do grupo de risco os veganos e vegetarianos, alcoólatras, diabéticos, idosos e pessoas que passaram por cirurgia bariátrica.

Tratamento

Quando diagnosticada de forma precoce, a neuropatia tem boas possibilidades de ser controlada e até revertida. Infelizmente, grande parte dos casos de neuropatia tem diagnóstico tardio, quando o comprometimento sensorial já está avançado e apresenta difícil tratamento. Os danos nos nervos se tornam irreversíveis quando se perde mais de 50% das fibras nervosas. Daí a importância de ficar atento aos sintomas.

O protocolo de  tratamento pode envolver analgésicos para o alívio da dor, suplementação com vitaminas do complexo B para compensar o déficit e uso de fármacos antidepressivos, com doses ajustáveis de acordo com cada caso. Também é necessário tratar a doença subjacente, a fim de melhorar o quadro geral de saúde do indivíduo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como neurologista em Brasília.

Comentários

Posted by Dr. Heitor Felipe Lima