neuromielite óptica

Neuromielite óptica: diagnóstico e tratamentos

A neuromielite óptica é uma doença do sistema nervoso central, que afeta principalmente os nervos oculares (neurite óptica) e a medula espinhal (mielite). Ela também é conhecida como transtorno do espectro ou doença de Devic. 

Ocorre quando o sistema imunológico reage contra suas próprias células do sistema nervoso central, principalmente nos nervos ópticos e na medula espinhal, e às vezes no cérebro. 

Sendo uma condição séria, elaborei este artigo para contar um pouco mais sobre o assunto e dar informações importantes sobre a Neuromielite.

Quais são os sintomas da neuromielite óptica?

A neuromielite óptica pode causar diversos sintomas. Conheça alguns deles, abaixo:

  • cegueira em um ou em ambos os olhos;
  • fraqueza ou paralisia nas pernas ou nos braços;
  • espasmos dolorosos;
  • perda de sensibilidade;
  • vômito e soluços incontroláveis;
  • disfunção da bexiga e do intestino, devido a danos na medula espinhal. 

As pessoas podem experimentar, inclusive, confusão mental, convulsões ou coma. Os surtos de neuromielite óptica podem ser reversíveis, no entanto, podem ser graves o suficiente para causar perda visual permanente e problemas de mobilidade.

Como é feito o diagnóstico?

O médico neurologista irá realizar uma avaliação minuciosa para descartar outras doenças neurológicas do sistema nervoso, que apresentem sinais e sintomas semelhantes aos da neuromielite óptica. 

É importante distinguir a neuromielite da esclerose múltipla, bem como outras condições neurológicas, para garantir que o paciente receba o tratamento mais adequado.

Para diagnosticar a condição, o médico irá rever o histórico médico, analisando os sintomas e realizar exames específicos. Conheça alguns deles, a seguir. 

Exame neurológico

O neurologista examinará as funções do movimento, força muscular, coordenação, sensação, memória, pensamento cognitivo, visão e fala. Um oftalmologista também pode, juntamente ao neurologista, realizar o exame dos nervos relacionados ao olho.

Ressonância magnética

Uma ressonância magnética usa ímãs e ondas de rádio para criar uma visão detalhada do cérebro, nervos ópticos e medula espinhal. Com a ajuda deste exame, o médico pode ser capaz de detectar lesões ou áreas danificadas do cérebro, nervos ópticos ou medula espinhal.

Testes neurofisiológicos

Durante os testes, os médicos prendem eletrodos ao couro cabeludo e, em alguns casos, às orelhas, pescoço, braço, pernas e costas. Os equipamentos ligados aos eletrodos registram as respostas do cérebro aos estímulos. Estes testes ajudam a identificar lesões ou áreas danificadas nos nervos, medula espinhal, nervo óptico, cérebro ou tronco cerebral.

Como é realizado o tratamento da neuromielite óptica?

A neuromielite óptica não pode ser curada, embora a remissão, a longo prazo, possa ser alcançada com o tratamento correto. O tratamento da neuromielite envolve terapias para reverter os sintomas recentes e prevenir futuros ataques.

No estágio inicial, o médico pode prescrever medicação por via intravenosa. O paciente receberá a medicação por cerca de cinco dias e, em seguida, ela será diminuída lentamente.

O médico pode recomendar que o paciente tome uma dose baixa de corticosteroides por um longo período, para prevenir futuros ataques e recaídas.

Também pode ser necessário o uso de medicamentos para suprimir o sistema imunológico, além dos corticosteroides, para evitar futuros ataques.

Por fim, é importante entrar em contato com o médico ao notar os sintomas. A neuromielite óptica deve ser acompanhada e tratada imediatamente por meio dos métodos adequados à cada paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como neurologista em Brasília.

Comentários

Posted by Dr. Heitor Felipe Lima