neuralgia do trigêmeo

Neuralgia do trigêmeo: quais são os tratamentos indicados?

A neuralgia do trigêmeo é um distúrbio nervoso responsável pela sensação de dor intensa no rosto, onde o nervo trigêmeo passa. Esse nervo controla as sensações da face e transporta para o cérebro as mensagens decorrentes dessas sensações.

A dor sentida é relatada como uma das piores dores que existem. O sintoma é sentido nos olhos, lábios, nariz, couro cabeludo ou testa.

O nervo do trigêmeo tem três ramificações, representadas pelo ramo oftálmico, o ramo maxilar e o ramo mandibular.

Geralmente, o problema é causado pela interrupção da função do nervo, provocada pelo contato de um vaso sanguíneo normal com o nervo do trigêmeo. Esse contato pressiona o nervo gerando a dor característica.

Possíveis causas da Neuralgia

A causa principal desse distúrbio não é conhecida e envolve muito debate. Alguns fatores, porém, podem desencadear a dor. Entre eles, destacam-se: 

  • fazer a barba;
  • lavar o rosto;
  • mastigar ou beber;
  • escovar os dentes;
  • sorrir ou falar.

Para o diagnóstico da neuralgia do trigêmeo, a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia afirma que é importante verificar sinais e sintomas semelhantes que podem mascarar a doença, como a sinusite, tumores e cáries dentárias. 

Uma ressonância magnética pode auxiliar o médico no diagnóstico preciso e determinar o motivo da dor. 

Tratamento da neuralgia do trigêmeo

O tratamento inicial é feito com o uso de medicamentos anticonvulsivos e antiespasmódicos. Em geral, tratamentos adicionais não são necessários.

A medicação pode parar de responder em algumas pessoas. Nesse caso, injeções e cirurgia são as opções disponíveis.

Tipos de cirurgia

O tratamento por cirurgia envolve quatro técnicas. Três são conhecidas como técnicas percutâneas e a quarta é uma cirurgia mais complexa, em que a base do crânio é aberta para examinar-se o nervo trigêmeo. Essa técnica envolve neurocirurgia com microscópio e internação na UTI.

As técnicas percutâneas são feitas em poucos minutos, com anestesia local. A técnica é recomendada a indivíduos com contraindicação à cirurgia mais complexa.

Na primeira técnica percutânea é injetada uma substância, como o glicerol, glicerina ou propanotriol. Por apresentar índices importantes de recidiva da dor, essa técnica está sendo preterida por outras.

A segunda é chamada de lesão por radiofrequência. É uma variação da técnica por eletrocoagulação, mas, nesta técnica, o nervo trigêmeo era queimado, provocando uma lesão não controlada e perda da sensibilidade. A radiofrequência permite o controle da temperatura e da lesão.

Na terceira técnica percutânea, um balão é introduzido por meio de um cateter e é insuflado próximo ao gânglio que dá origem ao nervo trigêmeo. A compressão por alguns segundos interrompe a circulação no local, imobilizando ou neutralizando a região que perdeu a bainha de mielina. Todo esse processo provoca o alívio e desaparecimento da dor.

Apresentando-se os sintomas da neuralgia do trigêmeo, um médico deve ser consultado para indicar o melhor tratamento para o caso. Ele também prescreverá o medicamento, a dosagem correta e a duração do tratamento. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como neurologista em Brasília.

Comentários

Posted by Dr. Heitor Felipe Lima